Além da mídia social

Quanto custa uma campanha política na internet?

Depois de muitas consultas feitas por candidatos a prefeito e a vereador, achei que é uma boa hora para falar sobre os custos de uma campanha política na internet. A maior parte dos políticos sequer faz ideia do que está abrindo mão ao contratar serviços de comunicação digital de agências ou profissionais que prometem o “bom e barato”.

Não sei ao certo até que ponto os candidatos são ingênuos ou pouco acreditam na eficácia da internet na obtenção de votos, mas é fato que são raros os que contratam bons profissionais e ferramentas pensando em explorar todo o potencial das ferramentas digitais.

Trabalhei em diversas campanhas tradicionais e digitais, com essa experiência posso afirmar que, no Brasil, nenhum político ganhará qualquer eleição através da internet, contudo, ao não trabalhar o meio direito colocará em risco a sua vitória.

Não existe almoço grátis

Os custos de uma boa estrutura varia de acordo com a região do país, na cidade de São Paulo temos o maior custo de mão de obra do Brasil. Em cidades das regiões centro-oeste, norte e nordeste os salários ficam próximos a um terço do que os praticados na capital paulista. No sul e demais cidades do sudeste, ficam em torno de metade.

Profissionais

Calculei o custo médio da hora dos profissionais mais utilizados em campanhas, já colocando os encargos para contratação, como mostra a tabela abaixo:

Custo/hora com encargos

Profissional

SP

Outras Capitais

Interior

Analista de pesquisa

 R$28,41

 R$17,05

 R$11,36

Analista de monitoramento

 R$28,41

 R$17,05

 R$11,36

Analista de relacionamento

 R$28,41

 R$17,05

 R$11,36

Analista de CRM

 R$28,41

 R$17,05

 R$11,36

Designer

 R$34,09

 R$20,45

 R$13,64

Programador front-end (interface)

 R$28,41

 R$17,05

 R$11,36

Programador back-end

 R$45,45

 R$27,27

 R$18,18

Captador/editor de imagens

 R$34,09

 R$20,45

 R$13,64

Conteúdista Sênior

 R$39,77

 R$23,86

 R$15,91

Conteúdista Pleno (redator publicitário)

 R$28,41

 R$17,05

 R$11,36

Coordenador

 R$45,45

 R$27,27

 R$18,18

Estrategista

 R$113,64

 R$68,18

 R$45,45

Os valores cobrados pelos profissionais não diferem para uma campanha em grande ou pequena escala, o que varia é a quantidade de pessoas envolvidas. Em São Paulo, um bom time custa cerca de R$ 100 mil mensais, em outras capitais algo próximo de R$ 50 mil e em cidades do interior por volta de R$ 30 mil.

A tamanho da experiência dos profissionais em campanhas políticas pode fazer os valores subir em até 100%.

Plataforma

Teoricamente, uma campanha deve ter um site para agrupar o conteúdo, podendo ser um CMS baseado em plataforma WordPress, sem problema algum.

É no desenvolvimento da ferramenta que os valores destoam mais, começam em torno de R$ 5 mil e chegam a R$ 30 mil, dependendo da complexidade e do prazo para realização da tarefa.

Um site razoável toma, ao menos, 4 dias de um designer competente, 3 dias de um programador front-end e 3 dias de um programador back-end. O conteúdo toma até uma semana de um conteúdista. Considerando os valores cobrados por cada profissional, o custo da plataforma muito simples seria algo próximo a R$ 5 mil.

Agora, faça uma conta de padeiro:

Descrição

%

Valor

Mão de obra  R$ 5.000,00
Administrativo 20% R$ 1.000,00
Mark-up 32% R$ 1.920,00
Impostos 20% R$ 1.584,00
Valor cobrado pela agência R$ 9.504,00
Lucro líquido 20% R$ 1.920,00

O valor cobrado por uma agência, para ter 20% de margem líquida, considerando os custos e impostos acima, ficaria em R$ 9.504,00.

O problema é que neste modelo simplificado não estão aplicações de segurança, conexões com redes sociais e otimizações para mecanismos de busca, o que elevaria o valor cobrado para algo próximo de R$ 20 mil.

Sendo assim, vale a pena ter muito cuidado com as ofertas de baixo valor, provavelmente o desenvolvimento será feito por profissionais com pouco conhecimento e deixará o site aberto para ataques ou com pouca utilidade como ferramenta de propagação da campanha.

Infraestrutura

Não se faz campanha sem infraestrutura adequada, principalmente, no meio digital.

Um bom servidor deve ser alocado para hospedar o site e também os arquivos utilizados pela equipe de trabalho, recomendo utilizar algum dedicado.

A equipe deve ser conectada em rede, porém o armazenamento de tudo que é produzido não deve ficar apenas nos equipamentos dos profissionais, devendo também ser replicado em uma unidade de backup confiável.

Infelizmente, no Brasil, não há um fornecedor de banda larga confiável e por esse motivo é necessário contratar duas empresas para evitar o apagão digital. Se a região não oferecer mais do que uma empresa, modens 3G podem ser uma saída.

Somando os serviços de hospedagem, equipamentos, alimentação, transporte e o fornecimento de banda larga aos custos da base onde os profissionais ficarão, chegamos a um valor próximo de R$ 10 mil mensais.

Resumo da operação digital

Como se pode notar ao confrontar os números que expliquei com o que é ofertado pela maior parte das agências que se propõem a fazer campanha, fica claro que alguém sairá no prejuízo.

Uma campanha razoável na capital paulista custaria: R$ 50 mil (infra) + R$ 300 mil (equipe) + R$ 30 mil (site) = R$ 380 mil (três meses de operação). Devemos lembrar que pode haver segundo turno e o número pode ficar ainda maior.

Em outras capitais, um montante aproximado de R$ 200 mil (sem considerar segundo turno) e em cidades do interior não fica abaixo de R$ 140 mil.

Todos os valores acima não contemplam ações presenciais de engajamento como, por exemplo, treinamento de militantes virtuais ou ferramentas aprimoradas para CRM.

Os valores podem parecer expressivos, mas são ínfimos quando comparados aos demais investimentos envolvidos em uma campanha, a maior parte das campanhas não chega a 5% do total. Televisão e mobilização de rua são os grandes consumidores de recursos.

Mesmo não tomando muito do orçamento, políticos e partidos ainda não entenderam os benefícios que um trabalho profissional pode trazer e continuam recorrendo ao “bom e barato”. O que, obviamente, só existe no mundo dos sonhos…

Até mais!

Marcelo Vitorino

Marcelo Vitorino

Flipboard

Professor na ESPM e consultor de comunicação e marketing digital, Marcelo Vitorino reúne experiência no marketing corporativo, eleitoral, institucional e político

leia mais

Mais artigos do autor:

os melhores plugins para wordpress Leia mais

29 de Abril de 2017

Marcelo Vitorino

Separei todos os plugins que uso em meus sites em Wordpress e que melhoram a usabilidade, a produtividade, a relação com o Google e com as redes sociais.

Leia mais

14 de julho de 2012

Marcelo Vitorino

Candidatos recorrem ao bom e barato na hora de investir na comunicação digital. Campanha política na internet não é de graça

Artigos Relacionados:

inbound marketing destaque facebook Leia mais

10 de Janeiro de 2018

Marcelo Vitorino

Vitorino explica quais os cinco grandes pilares para que a comunicação de mandato tenha sucesso: informação, exposição, relacionamento, reputação e pesquisa

A ideia do aplicativo Sarahah é que as críticas e tenham impacto positivo Leia mais

10 de Janeiro de 2018

Ana Eliza Oliveira

Febre do momento ou não, o fato é que nada impediu que o Sarahah se tornasse o aplicativo de mensagens mais baixado no Brasil em menos de uma semana.