Além da mídia social

Vendo site seminovo em bom estado

Cartaz em post "trago a pessoa amada na base da pancada"

Há quem acredite em tudo que se vende

Vamos falar de coisa boa? Hoje não quero falar de Tekpix e nem de Cogumelo do Sol, quero falar sobre algo muito melhor, algo que vai ao encontro a todas as suas necessidades e que vai resolver a vida da sua empresa… Um site! É isso mesmo que você leu, não é feitiçaria, é tecnologia!

O velho bom e barato

Claro que estava sendo irônico, mas acredito que isso que você acabou de ler acontece todos os dias, nos mais variados lugares e com todos os tipos de empresa. Alguém sempre aparece com uma solução simples, barata, rápida e que encaixa com as necessidades de um cliente que mal conhece. Isso tem nome, chama-se amadorismo.

Como contraponto também acontece o contrário, empresários entram em contato com profissionais de marketing digital e pedem o desenvolvimento de um “site”. A explicação mais comum que encontro sobre a necessidade do tal  “site” é: “preciso de um site porque qualquer empresa tem um, o meu concorrente tem um, o primo da vizinha da minha cunhada tem um”.

Quando argumento que o caminho para estabelecer presença online é mais complexo recebo negativas clássicas como a de que não vale a pena “gastar” dinheiro com a internet porque não dá retorno financeiro.

Em um ponto concordamos, realmente não vale a pena “gastar” dinheiro no desenvolvimento na web.

Caso o responsável pela empresa não entenda o que pode tirar da rede, não faça um planejamento e nem trate o melhor canal para comunicação segmentada que conheço com respeito, sugiro não dedicar um único real para a web. Qualquer quantia será desperdício.

Retorno é consequência

Quer ter retorno financeiro com ações na internet? Invista, trate-a como canal de relacionamento com seu público de forma profissional!

O que me pasma é a falta de entendimento de que a web é a apenas um meio para obtenção de resultados, não é finalidade. Boa parte dos  “empresários” vê o investimento com desdém porque não entende essa diferença.

Se você tivesse dinheiro para investir na criação de um negócio, seja ele uma barraca de feira, uma loja de vestuário ou uma indústria, faria o quê? Fatalmente não montaria um ponto de venda ou instalações antes de fazer uma pesquisa de mercado. Provavelmente, iria estudar a concorrência, localização, fornecedores e meios para divulgação dos seus produtos e serviços.

Sabendo disso, dá para notar que não faz o menor sentido alocar recursos em algo sem pesquisa e planejamento, feito porque algum concorrente fez ou porque acha que basta estar presente.

O comportamento do usuário conectado é implacável com o que encontra nela, como é impactado por muitas fontes de informação, acaba por ignorar o que não reflete valor e propósito. Se também não for sugestionado à uma ação, certamente, continuará passivo ao conteúdo.

Simplesmente fazer um site ou abrir perfis em redes sociais, sem estabelecer uma relação com os interesses do usuário, pode fazer com que pessoas que conheçam a marca entrem em contato com ela, mas não produzirá mais nada além de um ou mais cliques.

Pense nisso antes de encomendar um site como quem compra um carro nos classificados. O barato geralmente sai caro e o que é bom raramente custa pouco.

Até mais!

Marcelo Vitorino

Marcelo Vitorino

Consultor e palestrante de comunicação, marketing digital e gestão de crise na internet. Sócio da Presença Online. Também conhecido nas redes sociais como "urso".

leia mais

Deixe uma comentário

Faça seu comentário:

  1. ARLETE 17 de maio de 2012 as 10:43

    OLÁ,BOM DIA SR. URSO!
    DESCULPE,AQUI É SR. MARCELO,ENTÃO QUE ASSIM SEJA…BOM DIA SR.MARCELO,rs
    ACHEI MUITO BOM TODO O CONTEXTO.FANTASTICA ESSA MANEIRA BEM HUMORADA DE FALAR DE COISA “SÉRIA” MAS DE FORMA DESCONTRAIDA,ISSO FACILITA E FAZ COM QUE O “OLHAR” DE QUEM NÃO É MUITO FAMILIARIZADO COM O TEMA PASSE A QUERER SER.
    MUITO BOM.
    BJO
    OTIMO DIA.

Mais artigos do autor:

SOS - Gestão de crise Leia mais

25 de março de 2015

Marcelo Vitorino

Poucas empresas tem estrutura para lidar com crises na internet. Uma boa gestão de crise demanda meios, entendimento, rapidez, soluções e transparência

Mídia social: canais, usos, formatos, possíveis ações e vantagens Leia mais

16 de janeiro de 2012

Marcelo Vitorino

Como usar a mídia social digital para ações promocionais? Saiba quais os usos, formatos, ações e vantagens de cada canal

Artigos Relacionados:

Fãs trazem resultados Leia mais

25 de março de 2015

Marcelo Vitorino

A corrida pelo maior número de fãs e seguidores não se mostra eficaz quando os resultados dos investimentos em mídia social são avaliados

como contratar software houses Leia mais

25 de março de 2015

Marcelo Vitorino

Veja quais as conclusões tiradas de uma análise concorrencial de Software Houses e saiba em quais itens deve ficar de olho quando se contrata esse serviço