Além da mídia social

5 boas razões para investir na comunicação e no marketing digital

Ao falar com empresários quase sempre noto uma inquietação sobre os investimentos feitos na comunicação e no marketing como um todo e mais ainda, na fatia que se refere a porção digital. Por falta de experiência ou de afinidade, quase nenhum tem confiança de que está investindo corretamente ou confia que equipe tenha conhecimento para obter os resultados desejados.

A dúvida mais comum que me chega nesses encontros é relacionada ao que se pode obter ao destinar uma parte da verba para planejar, executar e mensurar ações no ambiente digital.

Para facilitar a compreensão, apesar de ter muitas razões, resolvi resumir as 5 que considero mais importantes:

Mensurabilidade

Uma grande vantagem que o meio digital tem sobre os demais está na capacidade de mensurar resultados. Nenhum outro meio de comunicação consegue retornar tantas informações e com tamanha precisão e velocidade, servindo também para departamentos de pesquisa e desenvolvimento promoverem testes de sensibilidade para ações offline.

Segmentação

Com inúmeras ferramentas, diferentes redes sociais e canais digitais e a possibilidade de produção e distribuição de conteúdo por nicho, o investimento no marketing digital se mostra mais eficaz e eficiente do que em outros meios.

Engajamento

Os meios de comunicação tradicionais e estabelecidos (televisão, rádio, jornais) têm muita facilidade para operações de broadcast (transmissão de conteúdo em massa), mas não conseguem produzir bons resultados a um custo razoável quando há interesse em engajar espectadores para alguma finalidade. O ambiente digital proporciona espaço para uma abordagem mais ampla e com mais conteúdo, onde podemos usar formas de linguagem que impulsionam o espectador à uma ação.

Disseminação

Ao contrário da comunicação tradicional, que é muito pontual e temporal, a característica de permanência do meio digital facilita disseminação do conteúdo a qualquer momento, podendo ser estimulada diretamente através de campanhas de ativação ou de forma orgânica caso o trabalho tenha sido bem indexado.

Agilidade

Produzir conteúdo e campanha para os meios digitais requer o mesmo trabalho do que para os meios tradicionais, é necessário fazer pesquisa e um bom planejamento, porém a publicação e consequentes alterações costuma ser muito mais ágeis do que em outros meios. Outro ponto interessante está no curto tempo necessário para percepção de resultados e prováveis alterações de rota.

Repare que não citei “baixo custo” em qualquer uma das razões, até porque, não acredito em ações milagrosas onde pouco se investe e muito retorna. Isso está mais associado a práticas ilícitas do que a comunicação corporativa.

É muita ingenuidade achar que bons resultados são sempre produto de campanhas de baixo desembolso, pode ser até que aconteça vez ou outra, mas geralmente é necessário investir bem, de forma planejada e com métricas e objetivos bem definidos para chegar onde queremos.

Até mais!

Marcelo Vitorino

Marcelo Vitorino

Flipboard

Professor na ESPM e consultor de comunicação e marketing digital, Marcelo Vitorino reúne experiência no marketing corporativo, eleitoral, institucional e político.

leia mais

Mais artigos do autor:

Produção de conteúdo audiência Leia mais

14 de julho de 2015

Marcelo Vitorino

A produção de conteúdo pode ser a maneira mais econômica de obter audiência, veja o quadro comparativo com a publicidade online, e um case um blog de acesso

dicas de facebook Leia mais

15 de maio de 2018

Marcelo Vitorino

O Facebook pode ser um ótimo canal de comunicação com os clientes, mas quando o assunto é venda direta nem sempre os resultados são bons. Confira as dicas de Marcelo Vitorino.

Artigos Relacionados:

A ideia do aplicativo Sarahah é que as críticas e tenham impacto positivo Leia mais

10 de janeiro de 2018

Ana Eliza Oliveira

Febre do momento ou não, o fato é que nada impediu que o Sarahah se tornasse o aplicativo de mensagens mais baixado no Brasil em menos de uma semana.

self direitos autorais Leia mais

21 de setembro de 2017

Felipe Pierozan

A selfie tirada pela macaca vem gerando controvérsias sobre a autoria e titularidade. Afinal, pode um animal ser detentor de direitos autorais?